Como controlar as birras do seu filho

Controlar as birras de uma criança pode ser uma das tarefas mais desafiadoras para os pais. Quando a criança começa a chorar, gritar e se jogar no chão, normalmente o único pensamento na cabeça dos adultos em volta é: como é que eu faço isso parar?

Primeiro é importante entender o motivo das birras.

O bebê nasce e tem apenas uma forma de comunicar quando algo não está bem: o choro. Por volta dos seis meses de idade, o bebê passa a compreender, ainda que de forma rudimentar, que seu choro gera uma reação nas pessoas, ou seja, que ele pode manifestar sua insatisfação através dele. Perto de um ano de idade, a criança começa a conseguir articular algumas sílabas ou palavras e a comunicação gestual já está bem melhor. Entretanto, essas novas formas de comunicação exigem muito esforço da criança e nem sempre surtem o efeito esperado.

Então, é normal que, sob estresse, a criança não consiga articular e recorra à comunicação que é mais fácil para ela. Então, ela imita o choro ou realmente chora para se expressar.

 

Compreendendo que essa é a motivação da birra, e não a vontade de chamar atenção ou irritar os pais, fica mais fácil aplicar esses X passos para controlar as birras:

 

  1. Mostre disponibilidade para ouvir

Esse passo costuma desarmar birras depois de algumas vezes aplicados todos esses passos. Abaixe-se e mostre que está disposto a conversar. Diga “filho, me fala o que foi” ou “o que você precisa?”. Com o passar do tempo, a criança vai preferir se concentrar, se acalmar e tentar expressar o que quer de outras formas.

 

  1. Não se desespere

Quanto mais rápido tentamos acabar com uma crise de birra, pior. O melhor é colocar-se à disposição da criança e esperar que ela se acalme e tenha condições de falar. Pense em um familiar seu (irmão, primo, etc), que está em uma crise de choro e não consegue falar. O que você faria? Gritaria para ele parar? Ofereceria subornos para que parasse? O acolheria e esperaria se acalmar o suficiente para falar? O princípio é o mesmo. Vamos estar disponíveis para a criança, quando ela conseguir falar. Enquanto ela não conseguir, vamos aguardar pacientemente. Esse passo, combinado com o passo 1, vai fazer com que a criança faça mais esforço para se comunicar de outras formas.

 

  1. Não negocie

Quando a criança é um pouco mais velha e percebe que você não está fazendo o que ela quer, começa a “negociar”, ou seja, começa a quase falar o que quer mas, ainda chorando. Eles apontam, falam enrolado, etc. Essa é uma tentativa de se fazer entender mas, ainda através da birra. É como se a criança quisesse “dar uma dica” do que quer.

Continue aguardando e dizendo, de vez em quando, para a criança que vai esperar até que ela consiga dizer o que quer.

 

  1. Recompense o esforço

Quando a criança conseguir dizer ou mostrar com calma o que quiser, procure atender o mais rapidamente possível. Isso vai fazer com que a criança entenda que essa forma de comunicação é mais eficiente e procure utilizá-la com mais frequência.

 

  1. Sempre acolha e não critique

Como explicamos, esse é um processo de aprendizagem. Então, não fique chateado(a) com seu filho por isso. Depois da birra, o mais comum é pedirem colo. Atenda esse pedido sem ressalvas e não discurse sobre como esse comportamento era desnecessário. Para a criança, naquele momento, ele foi importante. Com o passar de poucos dias, você vai notar a diferença de comportamento.